Confira os minicursos disponíveis

A presente proposta tem como objetivo principal a abordagem quanto ao uso didático e pedagógico das Tecnologias digitais. Deste modo, buscaremos através de um planejamento coletivo, estabelecer a reflexão e elaboração de estratégias de ensino e aprendizagem que coloquem o aluno em situação de pró-atividade quanto ao uso das tecnologias com fins educativos. Para tal, abordaremos os pressupostos que explicitam as contribuições de trabalhos em grupo e de propostas que coloquem o aluno como centro do processo de ensino e aprendizagem, neste caso, especificamente, em relação ao uso das tecnologias supracitadas. Portanto, temos como objetivos principais o incentivo à criatividade, o trabalho colaborativo e construção do conhecimento de forma significativa, integrada e relacionada ao cotidiano do aluno. Nesse contexto, a abordagem do minicurso vai além da discussão do uso das tecnologias com viés educativo, mas propõe uma oficina mais participativa e aberta favorecendo um diálogo que permita que se vislumbrem possibilidades reais de incluir estes recursos nas salas de aula. Partiremos das teorias que fundamentam os processos de ensino e aprendizagem centrados no aluno, uso das tecnologias e o trabalho em equipe.
Ministrante: Jessica Kelly Sousa Ferreira (Secretaria de Educação do Estado da Paraíba)
DIA: 16 DE DEZEMBRO DE 2017 HORÁRIO: 10H às 13h

Carga Horária: 4

Vagas Disponíveis: 0

Este minicurso se dá a partir de experiências vividas no Programa de Iniciação à Docência (PIBID/CAPES/UEPB) em Guarabira-PB e tem como objetivo mostrar a importância do uso de gêneros textuais como ferramenta contributiva para o ensino de pronúncia em língua estrangeira (LE), bem como, o desenvolvimento da Consciência Fonológica (CF) no aprendizado de língua materna (LM) e LE. Alunos que não possuem a habilidade de operar de maneira consciente sobre os sons de sua LM estão sujeitos a não compreenderem a relação som ↔ escrita em sua língua podendo eventualmente comprometer o processo de alfabetização. Em se tratando de uma LE, o não desenvolvimento da CF acarretará em interferências na pronúncia e na percepção por influência da LM, visto que o aprendiz transfere os padrões sonoros de uma língua para outra (LM→LE) por Transferência Fonológica (TF). Para isso, dividiremos este minicurso em três etapas. Na primeira, discutiremos acerca das noções de CF em contexto de LM e de LE. Na segunda etapa, abordaremos os gêneros textuais e sua importância – oral e escrita - no contexto de sala de aula em que mostraremos resultados de trabalhos publicados pelo PIBID/UEPB/Inglês em Guarabira. Por fim, apresentaremos aos participantes sugestões de atividades – interagindo com a plateia - estimulando o desenvolvimento da CF (tanto em LM como em LE) a partir do uso de diferentes gêneros textuais.
Ministrantes: Leônidas José da Silva Junior (UEPB); Anilda Costa Alves (UFPB)
DIA: 16 DE DEZEMBRO DE 2017 HORÁRIO: 10H às 13h

Carga Horária: 4

Vagas Disponíveis: 0

Dentre as características do movimento de renovação do ensino de ciências, em particular da Física, Química e Biologia, os documentos oficiais ressaltam o papel da Experimentação e da História e Filosofia das Ciências para promoção de uma consciência crítica, ainda na escola básica. Nesse âmbito, a abordagem de “experimentos históricos” tem despontado como oportunidade para aprendizagem do conteúdo e de aspectos da produção do conhecimento científico (Natureza da Ciência). Diante disso, a oficina visa apresentar uma proposta com a referida didática por meio do estudo do episódio da descoberta de correntes elétricas induzidas, com desenvolvimento de uma atividade prática, baseada nos estudos de Michael Faraday (1791-1867) sobre a eletricidade, publicados em 1832. Em síntese, buscar-se-á discutir a potencialidade do uso de atividades experimentais investigativas, a partir de uma perspectiva histórica e construtivista, como ferramenta didática para o ensino de ciências na escola básica.
Ministrantes: José Praxedes de Oliveira Neto (SEE/PB), José Antonio Ferreira Pinto (PIEC/USP), Ingrid Kelly Laura dos Santos Pinto (Pibid/UEPB)
DIA: 16 DE DEZEMBRO DE 2017 HORÁRIO: 10H às 13h

Carga Horária: 4

Vagas Disponíveis: 0

A atividade de Resolução de Problemas é parte essencial das aulas de Física em todos os níveis de Ensino, no entanto, nem sempre essa atividade é planejada e realizada de modo a favorecer o processo de ensino e aprendizagem de conceitos de Física. Geralmente essas atividades são aplicadas ao final do conteúdo funcionando apenas como meros exercícios repetitivos e que não constroem sentido nos estudantes. Nesse sentido, propomos discutir as potencialidades de utilizar a Resolução de Problemas como estratégia didática para a construção de conceitos de Física, discutindo uma proposta de aplicação para trabalhar conceitos relacionados às Leis de Newton.
Ministrantes: Renally Gonçalves da Silva (PIBID/UEPB), Ana Raquel Pereira de Ataíde (UEPB)
DIA: 16 DE DEZEMBRO DE 2017 HORÁRIO: 10H às 13h

Carga Horária: 4

Vagas Disponíveis: 0

A Contação de Histórias é um procedimento metodológico que promove o desenvolvimento da criança e também a sua imaginação, a sua criatividade e seu senso crítico. Além disso, desenvolve a oralidade, assim como incentiva o gosto pela leitura e contribui com a formação da personalidade da criança. Esta oficina é direcionada aos professores em formação inicial e continuada dos anos iniciais do ensino fundamental que desejam adquirir conhecimentos teóricos e práticos sobre a temática.
Ministrantes: Christian Eduardo Campos da Silva (UEPB), Cláudia Daniela Batista da Silva (UEPB), Ewerton de Aguiar Marinho (UEPB), Patrícia Oliveira Gonçalves (UEPB), Profa. Débora Regina Fernandes Benício (UEPB)
DIA: 16 DE DEZEMBRO DE 2017 HORÁRIO: 10H às 13h

Carga Horária: 4

Vagas Disponíveis: 0


Ministrante: Cristiane Agnes Stolet (UEPB)
DIA: 16 DE DEZEMBRO DE 2017 HORÁRIO: 10H às 13h

Carga Horária: 4

Vagas Disponíveis: 0

As noções de documento ao longo da História. O papel social do professor de História. O fazer historiográfico em sala de aula. A pesquisa historiográfica em arquivos, a pesquisa nos meios virtuais. A dinâmica do ofício do professor de História: metodologia/teoria. Objetivos Gerais: - Realizar discussões sobre as correntes teóricas e as respectivas metodologias que envolvem a prática do professor de História. - Discutir as diferentes possibilidades de seleção de temáticas e de enfoques dos conteúdos históricos pertencentes ao currículo escolar. -Discutir sobre as possibilidades de produção de conhecimentos que contemplam as temáticas das chamadas Histórias locais e História Regional. Objetivos específicos: 1. Discutir as seguintes questões: a verdade em história; a relação entre história e narrativa; a relação entre história, tempo e espaço; história e memória; história e progresso; objeto e sujeito em história; história, teoria e metodologia; história, documento e monumento. 2. Exercitar o uso de documentos históricos em sala de aula.
Ministrantes: Bruno Barreto Alves da Silva (UEPB), Carla Nayara de Almeida Vasconcelos (UEPB), Israel dos Santos Silva (UEPB), Prof. Dr. João Batista Gonçalves Bueno (UEPB)
DIA: 16 DE DEZEMBRO DE 2017 HORÁRIO: 10H às 13h

Carga Horária: 4

Vagas Disponíveis: 0

Este minicurso busca contribuir com a formação docente à medida que traz uma reflexão acerca de saberes narrativos e cartesianos no contexto da EJA e presentes na obra do cantor e compositor Tom Zé. Trata-se de um poderoso choque de concepções de mundo onde temos, por um lado, o universo cartesiano-aristotélico, de regras que ditam comportamentos e padrões, lugar onde se encontra a Razão moderna universalizante, o método de Descartes e o cientificismo nele pautado. E por outra via temos o conhecimento subjetivo, narrativo, da oralidade, aberto, não linear, pré-racional. É comum nas salas de aula de EJA que o conhecimento de mundo das e dos estudantes expressem muito fortemente o saber narrativo. O desafio é acolher a identidade da e do estudante, expressa em sua fala e refletida na escrita, sem deixá-la à margem do correto, mas como uma expressão outra do conhecimento. Assim, este minicurso busca provocar reflexões sobre os modos como o choque heurístico entre essas duas concepções pode ser compreendido e mobilizado pedagogicamente para favorecer os processos de ensino e aprendizagem na escola. Busca também ampliar a percepção da inclusão social no contexto da diversidade, a partir do que se apresenta na música e na arte de Tom Zé, de modo a fazer frente a uma tentativa estrutural de homogeneização dos sujeitos. Traz discussões que perpassam pela História Oral, identidades, letramento, fracasso escolar, preconceito linguístico e sobre os modos de pensamento narrativo e científico.
Ministrante: Laurita Dias do Nascimento (UEPB)
DIA: 16 DE DEZEMBRO DE 2017 HORÁRIO: 10H às 13h

Carga Horária: 4

Vagas Disponíveis: 0

Vinculada ao Projeto Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), a Unidade de Poesia Intensiva - UPI, objetiva propiciar uma aproximação com o texto poético e construir para a formação de leitores de poesia. Para a realização desta oficina seguimos as orientações teórico-metodológicas de Tavares (2007), Silva (2009), Silva (2006), Cândido (1995; 2002), Eco (2003), Queirós (2012) e Alves (2007). Testada em algumas escolas onde atuamos, os resultados por nós obtidos a partir da UPI têm permitido a aproximação dos participantes para com a literatura, sobretudo com o gênero poema, este que ocupa um lugar à margem na escola e na formação de nossos alunos , como também tem nos propiciado vivenciar experiências ímpares por meio da troca de conhecimentos com o nosso público, o que assume um valor significativo para o nosso exercício pedagógico, sobretudo porque, quando da realização da oficina , éramos, todos professores em formação inicial com quase nenhuma vivência de sala de aula. Em virtude de sua relevância como experiência pedagógica exitosa, temos assumido o compromisso de divulgar a UPI para que ela possa se instalar em outras escolas.
Ministrantes: Anderson Rany Cardoso da Silva (PIBID/UEPB); Luana Kalline Moura Pereira (PIBID/UEPB); Marcelo Medeiros da Silva (PIBID/UEPB)
DIA: 16 DE DEZEMBRO DE 2017 HORÁRIO: 10H às 13h

Carga Horária: 4h

Vagas Disponíveis: 0

A formação nos cursos de Licenciatura não se define apenas pelo currículo e nem tampouco pela ênfase em conteúdos específicos. As licenciaturas precisam trabalhar os conteúdos específicos das disciplinas, priorizando as análises criticas visando à construção de novos conhecimentos, associados com a realidade em que vivem, e assim permitindo desenvolver novos saberes em futuros professores dentro de uma visão crítica (CUNHA, 2009). A proposta será ministrada em 4 horas, estando dividida a partir dos seguintes momentos: 1) Apresentação dos participantes ( Dinâmica) e da ementa do mini curso; 2) Discussão Teórica: BLOCO I: A pesquisa em Ensino de Química: Conceitos, desenvolvimento e importância na formação de professores; BLOCO II: A construção de artigos científicos no contexto da área de Ensino de Química ( Descrição de cada parte que compõe o artigo, as principais revistas científicas e congressos da área, as metodologias empregadas na pesquisa em ensino de Química, a construção dos instrumentos e a análise dos resultados); BLOCO III: Avaliação final do mini curso). Espera-se que esta proposta possa colaborar para despertar motivação dos licenciandos e professores em exercício, pela prática da pesquisa em ensino de Química, buscando aprender a construir um bom artigo nesta área e tornando a pesquisa, uma prática emergente no contexto de sua ação docente, para a melhoria do processo de ensino e aprendizagem dos conceitos químicos no contexto da educação básica.
Ministrante: Prof. Me. Thiago Pereira da Silva (UNIVASF)
DIA: 16 DE DEZEMBRO DE 2017 HORÁRIO: 14H às 17h

Carga Horária: 4

Vagas Disponíveis: 0

A geometria é, por si só, mais atrativa aos olhos dos educandos, justamente por se tratar de formas que são facilmente encontradas em nosso dia a dia. Com o intuito de minimizar as dificuldades encontradas, pela forma como é aplicada a geometria, foi desenvolvido esse trabalho na E.E.E.F. Augusto Dos Anjos, junto aos alunos bolsistas do Programa Institucional com Bolsa de Iniciação Docência (PIBID), levando ao aluno uma forma mais dinâmica de estudo, utilizando a construção de objetos como metodologia de ensino através da arte do origami modular, explorando a sua habilidade e criatividade, proporcionando um ensino prazeroso, significativo e de fácil entendimento sobre ângulos e triângulos, também auxiliando no desenvolvimento cognitivo, melhorando a aprendizagem e compreensão da matemática. O objetivo geral deste trabalho foi proporcionar ao aluno a oportunidade, através das dobraduras, para melhor aprendizagem de conteúdos geométricos, relembrando a ideia de ponto, reta, plano, posição relativa de duas retas no plano, identificar e nomear as formas geométricas que se formam na medida em que são confeccionados os origamis propostos, classificar os ângulos encontrados, identificar os tipos de triângulos, trabalhando a interdisciplinaridade com a arte, e visando despertar no aluno a conscientização e responsabilidade social com bem estar do meio ambiente, já que para realizar as dobraduras são utilizados papeis que seriam descartados no lixo, trabalhando assim a reciclagem do papel. Apesar das dificuldades que os alunos tiveram na confecção de algumas peças, eles persistiram e concluíram o objetivo, contando sempre com o apoio e ajuda uns dos outros, os alunos também puderam perceber que através das dobraduras é possível realizar um trabalho de reciclagem, pois o papel utilizado iria para o lixo, porém foi reaproveitado na confecção de objetos que podem ser utilizados como decoração, dessa forma diminuído o impacto do seu descarte no meio ambiente.
Ministrantes: Rosemary Gomes Fernandes (UEPB); Anna Karollyna Lima Araújo (UEPB); Carlos Rhamon Batista Morais (UEPB); Camila Rochana de Aguiar Barbosa (UEPB); Maria da Conceição Vieira Fernandes (UEPB)
DIA: 16 DE DEZEMBRO DE 2017 HORÁRIO: 14H às 17h

Carga Horária: 4

Vagas Disponíveis: 0

Esse trabalho é resultado de uma intervenção didática realizada durante o mês de outubro do ano de 2017 pela equipe do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID/UEPB, subprojeto matemática, na Escola Normal Estadual Pe. Emídio Viana Correia, Campina Grande, Paraíba. A álgebra é muito importante para a aprendizagem do aluno, pois as representações algébricas possibilitam o desenvolvimento da generalização das propriedades das operações aritméticas, como indicam os Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Fundamental (BRASIL, 1998, pág. 115). Uma das dificuldades dos alunos, que estão iniciando o ensino médio, é a operação com monômios e polinômios. Polinômios são expressões algébricas formadas pela soma de monômios (expressões formadas por um único termo contendo números e/ou letras; na qual, consequentemente, não há operação de adição ou subtração). O uso do MDM (Material Didático de Manipulação), assim como outras metodologias de ensino-aprendizagem, permite que o professor promova estratégias para facilitar a construção do conhecimento como aponta Silva (2012, pág. 29). Acreditamos que essa abordagem de modelos concretos para explicar determinados conceitos e objetos matemáticos seja de grande valia no processo de aprendizagem do aluno. Um dos materiais que podem auxiliar o aluno a atribuir significado às operações com monômios e polinômios é um kit de laboratório de Matemática para exploração dos produtos notáveis que articula álgebra e geometria. Adaptamos esse material para o ensino de operações com monômios e polinômios, colocando uma fita adesiva em um dos lados das peças do kit para simbolizar os valores negativos. O material é composto por peças em forma de quadrados de lado x, quadrados de lado 1, retângulos com lados x e 1; encontrados em Pasquetti (2008). Durante a oficina desenvolveremos atividades para a aprendizagem da adição, subtração, multiplicação e divisão de monômios e polinômios com o apoio do material didático abordado, bem como sugerir formas de confecção do material; e, em seguida, discutir com os participantes as possibilidades do uso do material para o ensino de outros conteúdos, como também suas limitações, através de trabalhos em equipe.
Ministrantes: William Porto Pequeno (UEPB); Amanda Beatriz Araújo (UEPB); Michelly Cássia de Azevedo Marques (UEPB); Sintia Daniely Alves de Melo (UEPB); Suênia dos Santos Nascimento Alves (UEPB); Tatiane Alice Santos Medeiros (UEPB); Maria da Conceição Vieira (UEPB)
DIA: 16 DE DEZEMBRO DE 2017 HORÁRIO: 14H às 17h

Carga Horária: 4

Vagas Disponíveis: 0

O Programa Escola Cidadã Integral-ECI, implementado pela Secretaria de Estado da Educação da Paraíba desde 2015, tem como objetivo fomentar propostas inovadoras no currículo das escolas de ensino médio para atender às demandas da sociedade contemporânea. Sugere-se, pois, um currículo que considere situações práticas e teóricas de aprendizagem favoráveis ao desenvolvimento integral do estudante nas dimensões da cultura, da ciência, da tecnologia e do trabalho. Outros métodos estão sendo incorporados na educação a fim de colaborar e facilitar a implementação dos objetivos da ECI. Apresentamos como um dos métodos, a Robótica Educacional que pode ser utilizada como uma atividade integradora ao processo de iniciação cientifica e pesquisa. Na Paraíba foram disponibilizados Kits de Robótica Educacional às escolas estaduais para serem usados como suporte ao novo currículo. A oficina tem como objetivo proporcionar o contato dos participantes com os kits de robótica educacional, como instrumento de incentivo à pesquisa. As etapas da oficina consistem em: 1. Apresentação dos kits de robótica; 2. Manipulação e montagem dos kits disponíveis no momento; e 3. Socialização dos modelos construídos. Para tanto, pretende-se que os participantes entendam a robótica educacional como uma ferramenta interdisciplinar favorável ao entendimento dos conteúdos especialmente de Física.
Ministrantes: Maria Betania Guedes Cândido (PIBID/UEPB), Eliane Pereira Alves (PIBID/UEPB), Ingrid Heloisa Guimarães Fidelis (UEPB)
DIA: 16 DE DEZEMBRO DE 2017 HORÁRIO: 14H às 17h

Carga Horária: 4

Vagas Disponíveis: 0

Os principais grupos sanguíneos do homem podem ser classificados de acordo com os sistemas ABO e Rh. No sistema ABO, existem 4 grupos sanguíneos determinados geneticamente (A, B, AB e O), dependendo da presença ou ausência de determinados aglutinogênios (antígenos) nas hemácias. A presença de aglutinogênio A, presença de aglutinogênio B, presença de aglutinogênio A e B e ausência de aglutinogênios, respectivamente, é o que caracteriza cada um deles. O fator Rh (ou fator D) foi descoberto em 1940, quando os pesquisadores Landsteiner e Wiener conduziram experimentos em macacos do gênero Rhesus. 85% das pessoas possuem nas hemácias um antígeno chamado fator Rh. Estas pessoas são Rh positivas (Rh+). 15% das pessoas não possuem nas hemácias o fator Rh e são Rh negativas (Rh-). OBJETIVOS: • Compreender os mecanismos de herança dos grupos sanguíneos ABO e Rh. • Determinar, experimentalmente, o grupo sanguíneo ABO e o fator Rh humanos. • Entender o processo de transfusão sanguínea. • Entender a teoria e realizar a pratica • Relacionar a prática com patologias associadas ao sangue.
Ministrantes: Bruno Oliveira de Lima; Douglas dos Santos Oliveira
DIA: 16 DE DEZEMBRO DE 2017 HORÁRIO: 14h às 17h

Carga Horária: 4h

Vagas Disponíveis: 0

As experiências vivenciadas junto aos licenciandos de Biologia do PIBID/Biologia/UEPB/CAPES nos conduzem a reflexões acerca de ações educativas voltadas para um ensino a partir da contextualização, transdisciplinaridade e problematização que contribuam para despertar o interesse, prazer e conferir-lhes significado. No processo de reflexão, planejamento e ação das sequências didáticas nos questionamos efetivamente sobre os aspectos pedagógicos pontuais que nos permitam perceber o nível de desenvolvimento da aprendizagem pelos estudantes do ensino médio. Dentre as ideias que os licenciandos bolsistas nos trazem, quando conversamos sobre as estratégias didáticas para abordar os temas conceituais da biologia, a mais citada é a utilização de jogos didáticos. Partimos do pressuposto de contribuir para que os estudantes desenvolvam uma melhor compreensão dos conceitos que também lhes permita associar o seu significado à sua realidade. Portanto, esta oficina tem como objetivo envolver os participantes numa proposta de ação pedagógica, na interface da anatomia e fisiologia humana, utilizando os jogos didáticos para facilitar a compreensão e ressignificação de conceitos biológicos. Pretende-se, pois, promover uma discussão que envolva os seguintes aspectos: o uso do jogo como ferramenta pedagógica; análise do jogo para ressignificação de conceitos biológicos e religação de saberes da biologia numa perspectiva transdisciplinar. Concebemos que conceitos outros, além dos biológicos podem estar implícitos, portanto a percepção quanto a contribuição do jogo na integração de diferentes conceitos contribuirá para que se dê sentido e significado ao que se aprende em biologia. A oficina acontecerá em 3 etapas. Na primeira etapa será feita uma explanação sobre as experiências vivenciadas pelos bolsistas e docentes supervisores do PIBID acerca da utilização dos jogos como facilitador no processo ensino-aprendizagem. Na segunda etapa iremos disponibilizar os jogos idealizados e confeccionados pelos discentes do 3º ano do ensino médio e que foram orientados pelos bolsistas e supervisores para que os participantes da oficina tenham conhecimentos das regras e possam perceber os diversos materiais utilizados na confecção dos jogos, nessa etapa o grupo será dividido em cinco subgrupos, os quais receberão cada de forma aleatória um tipo específico de jogo, já que todos os cinco terão conteúdos diferentes envolvendo fisiologia e anatomia humana. Serão disponibilizados 5 Jogos, a saber: jogo memória; twister; RPG; dominó e tabuleiro com peões humanos. Na terceira etapa cada grupo fará uma breve apresentação do que foi vivenciado. Para concluir, cada grupo deverá socializar os resultados obtidos e comunicar sua aprendizagem, enfatizando sobre a importância da utilização do jogo na promoção do aprendizado. Com o desenvolvimento desta oficina espera-se que os participantes reflitam sobre a necessidade de ações pedagógicas inovadores que articulem o desenvolvimento dos conteúdos disciplinares com aspectos necessários à vida de maneira prazerosa.
Ministrantes: Evanize Custódio Rodrigues (PIBID/UEPB), Fabrício André Lima Cavalcante (PIBID/UEPB), Valdelúcia Feliciano de Carvalho (PIBID/UEPB), Márcia Adelino da Silva Dias (UEPB)
DIA: 16 DE DEZEMBRO DE 2017 HORÁRIO: 14H às 17h

Carga Horária: 4

Vagas Disponíveis: 0

Em um mundo consolidado em informação, e com inúmeras tecnologias que tem como objetivo facilitar a vida de todos àqueles que necessitam de uma “mãozinha” nas atividades diárias, e na própria maneira de viver, cada vez mais com a comodidade promovida pelos usos dos equipamentos eletrônicos, nota-se como de forma real têm se materializado, o que os estudos da Geografia e da História tentam tratar nesse mundo contemporâneo, as evoluções e avanços da ciência no que tange o uso de novas tecnologias e suas utilizações pelo homem, num movimento denominado por Santos (1998) como revolução técnico-científico-informacional. É evidente que as mais variadas instituições sociais, se apropriaram desses elementos, para que assim, pudessem se atualizar e promover a facilidade na maneira de lhe darem com seus trabalhos. São departamentos públicos com banco de dados online, são bibliotecas com seus livros catalogados em servidores, são empresas que fazem suas transações e guardam seus documentos em formato digital, e o que falar das escolas, que encontraram na internet e em “slides” uma maneira diferenciada de lhe darem com os novos formatos de ministração de aulas pelos professores. Através desse minicurso abordaremos uma maneira diferenciada de ver essas novas conjunturas informacionais, trazendo para o viés de apropriação no ensino da Geografia na utilização dessas tecnologias, que surgem e podem ser reproduzidas e utilizadas em sala de aula como forma de dinamizar e dar um caráter lúdico as aulas. Trabalharemos diversas tecnologias que podem ser aplicadas ao Ensino de Geografia, com ênfase maior na Geografia Física, sendo esta mais palpável no seu modo de se apresentar, tendo em vista que seus conteúdos podem ser visualizados na prática, materialmente falando. Para tanto abordaremos o uso da Realidade Virtual e o uso da Realidade Aumentada como prática em nosso minicurso.
Ministrantes: Yury Araújo de Lima (IFPB); Sílvio César Lopes da Silva (UFRN/SEE-PB); Robson Pontes (UEPB)
DIA: 16 DE DEZEMBRO DE 2017 HORÁRIO: 14H às 17h

Carga Horária: 4

Vagas Disponíveis: 0

Muitos são os desafios enfrentados no cotidiano da sala de aula quando o assunto é a interpretação, a escrita e a reflexão textual. A falta de base e preparação por parte dos alunos em entender alguns temas abstratos que envolve o conhecimento de mundo, as experiências do cotidiano e as aprendizagens adquiridas ao longo do processo formativo, esbarram nas questões comportamentais, na interação com o que vem sendo abordado na sala de aula e no envolvimento da temática. Assim surge a proposta de nosso minicurso, partindo do uso das tecnologias digitais por parte de nossos alunos, além do acesso as redes sociais, pensamos uma proposta que agregue esse cenário e faça com que os alunos participem mais ativamente das atividades desenvolvidas na sala de aula e se tornem protagonistas de sua história. Destaca-se ainda o resultado positivo da proposta, uma vez que ao lodo do ano letivo a desenvolvemos com os alunos, priorizando a curiosidade, a pesquisa, a escrita e a reflexão críticas do tema abordado. Dessa forma, ressaltamos a importância do envolvimento dos professores, das diversas disciplinas da grade curricular, além da participação ativa do aluno nesse processo.
Ministrantes: Silvio César Lopes da Silva (UFRN/SEE-PB); Alessandra Magda de Miranda (UFPB/ SEE-PB)
DIA: 16 DE DEZEMBRO DE 2017 HORÁRIO: 14H às 17h

Carga Horária: 4

Vagas Disponíveis: 0


Ministrantes: Renata Claudia Silva Santos Araújo (UEPB), Ennyo José Barros de Araújo (FACULDADE REBOLÇAS)
DIA: 16 DE DEZEMBRO DE 2017 HORÁRIO: 14H às 17h

Carga Horária: 4

Vagas Disponíveis: 0

VI Encontro de Iniciação à Docência da UEPB & IV Encontro de Formação de Professores

Venha participar de um dos melhores eventos desta área.